Você sabia que sua conta de luz pode ficar mais barata?

O Idec te explica como.

Desde 1º de janeiro de 2020, a maioria dos domicílios brasileiros com energia elétrica já pode aderir à Tarifa Branca, um regime de preços que pode garantir economia na conta de luz, a depender do tipo de consumo de energia

A medida, criada pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) para desafogar o sistema elétrico e tornar a rede mais eficiente, oferece luz mais barata àqueles que a consumirem fora do horário de ponta, período do dia quando o uso é mais intenso. A tarifa é opcional e cabe ao consumidor escolher se adere à mudança.

Vale a pena?

Antes de optar pela Tarifa Branca, é preciso fazer uma análise do seu perfil de consumo de energia ao longo do dia, comparando-o com os períodos de ponta e intermediário definidos pela distribuidora que o atende. É justamente para te ajudar nisso que o Idec criou essa calculadora!

Quanto maior a diferença entre a Tarifa Convencional e a Tarifa Branca fora de ponta, mais vale a pena aderir à Tarifa Branca, e vice-versa.

Uma dica! Os aparelhos que mais contribuem com o consumo de energia no período de ponta são o chuveiro elétrico, ar-condicionado e aquecedores. A possibilidade de utilizá-los nos períodos fora de ponta será fundamental para definir se a adesão à Tarifa Branca pode ser vantajosa.

A medida, criada pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) para desafogar o sistema elétrico e tornar a rede mais eficiente, oferece luz mais barata àqueles que a consumirem fora do horário de ponta, período do dia quando o uso é mais intenso. A tarifa é opcional e cabe ao consumidor escolher se adere à mudança.

Saiba quais os horários para cada distribuidora elétrica:

Distribuidora selecionada:

Horário de Ponta:

Horário intermediário:

Horário fora de Ponta:

Aos finais de semana e feriados, o consumo será sempre na íntegra como Fora de Ponta.

Mais dúvidas Perguntas frequentes

Antes de optar pela Tarifa Branca, é preciso fazer uma análise do seu perfil de consumo de energia ao longo do dia, comparando-o com os períodos de ponta e intermediário definidos pela distribuidora que o atende. É justamente para te ajudar nisso que o Idec criou essa calculadora! Quanto maior a diferença entre a Tarifa Convencional e a Tarifa Branca fora de ponta, mais vale a pena aderir à Tarifa Branca, e vice-versa. Uma dica! Os aparelhos que mais contribuem com o consumo de energia no período de ponta são o chuveiro elétrico, ar-condicionado e aquecedores. A possibilidade de utilizá-los nos períodos fora de ponta será fundamental para definir se a adesão à Tarifa Branca pode ser vantajosa.

Saiba quais os horários para cada distribuidora elétrica:

Uma dica! Os aparelhos que mais contribuem com o consumo de energia no período de ponta são o chuveiro elétrico, ar-condicionado e aquecedores. A possibilidade de utilizá-los nos períodos de fora de ponta será fundamental para definir se a adesão à Tarifa Branca pode ser vantajosa. Essa modalidade é opcional e cabe ao consumidor escolher aderir. As diferentes tarifas são definidas e publicadas anualmente pela ANEEL, para cada distribuidora.

A tarifa de energia é o preço cobrado pela quantidade de energia que você consome. Ela pode variar, dependendo do perfil do consumidor (convencional, baixa renda, entre outros). A Tarifa Branca é uma dessas modalidades tarifárias. Ela oferece luz mais barata àqueles que a consumirem fora do horário de ponta (quando o uso é mais intenso). A economia pode chegar a até 11%. Assim, no caso da tarifa convencional, é cobrado um mesmo preço pela energia elétrica em todos os horários e dias da semana. Já pela Tarifa Branca são cobrados valores diferentes de acordo com a hora e o dia do consumo.

A Tarifa Branca diferencia três faixas de consumo e para cada uma o valor cobrado é diferente: horário de ponta (ex: das 18h às 21h), intermediário (ex: das 17h às 18h e das 21h às 22h) e fora do ponta (ex: demais horas). ATENÇÃO! As concessionárias devem informar aos consumidores quais são os intervalos de horário das suas faixas de consumo, pois elas mudam de acordo com a região do país.

Saiba mais

Voltar

Inscreva-se para receber informações
sobre energia elétrica e sustentabilidade.

Sim, eu aceito os termos de uso

Inscrição realizada